História da massoterapia

Este é um breve resumo da história da massoterapia e suas aplicações ao longo do tempo.

Um passeio pela história da massoterapia

Não se sabe ao certo a origem da massagem para fins terapêuticos. Porém especula-se que ela é utilizada desde antes a pré-história por ser um método intuitivo de cuidado.

É fato que alguns primatas dos dias de hoje praticam vários tipos de cuidado manual uns com os outros. Por isso não é improvável que nosso ancestrais também o fizessem.

Tanto que ao sentir dor por conta de uma lesão, a primeira ação que tomamos é levar as mãos ao local dolorido. Desta forma tentamos proteger ou aliviar a sensação desagradável. E parece que funciona de alguma forma.

Desde pequenos temos este impulso quase que de imediato. Já que quando sofremos qualquer agressão em nosso corpo, sentimentos a necessidade de tocar o local. Assim como o toque de outras pessoas pode proporcionar uma alívio imediato. Além de uma sensação de conforto e cuidado proporcionada pelo calor.

Este reflexo não existe à toa. É uma marca de experiências anteriores que está gravada em nossa existência física.

Quando falamos em registros históricos e ao estudar de civilizações ancestrais, percebemos que a massoterapia acontece em vários lugares do mundo de modo independente.

Algo que reforça ainda mais a ideia de que a massagem é um método natural e intuitivo da humanidade. Portanto, podemos dizemos que a massoterapia é uma das formas de cuidado humano mais antigas que ainda estão em uso.

Se dizemos que os remédios são qualquer coisa ou ação que melhore nossa saúde e alivie dores, então a massoterapia é um remédio universal e que está presente em toda a existência da humanidade.

Registros da história da massoterapia

Existem diversos relatos de práticas antigas de massagem terapêutica na Índia, China, Japão, Grécia e Roma. Vamos ver uma breve linha do tempo com fatos interessantes.

Massoterapia na Antiguidade

Um dos primeiros registro escritos da massoterapia está na obra Huang Di Nei Jing Su Wen, popularmente conhecida como Tratado de medicina do Imperador Amarelo.

Este compilado sua aparição aproximadamente em 2500 a.C e lança os fundamentos da medicina chinesa.

No Egito antigo existem diversas inscrições que indicam a prática da massoterapia, bem como estudo de anatomia para a mumificação.

Existem registros nos livros da cultura Védica da Índia. Dois deles são o Atharva Veda e o livro Charaka samhita. Em ambos são encontrados passagens sobre práticas de unção com óleos e massagem como a Abhyanga, por exemplo. São referências encontradas por descritas por volta de 700 A.C.

Na china a massagem também era comumente chamada de Cong-Fou e no Japão, Ambouk. Ao longo da história da massoterapia também foram descritas diversas técnicas, variações com finalidades de aplicação como veremos a seguir.

Massoterapia na antiguidade clássica

O pai da medicina ocidental, Hipócrates (460 a.C. – 370 a.C.), batizou a massagem como anatripsis, que significava “esfregação”. Ele dizia que um bom médico deveria ter conhecimento em muitas áreas. Mas que o conhecimento e habilidade de fricção era indispensável. (Fica a dica para os profissionais de saúde atuais).

No livro On The Articulations, Hipocrates descreve a massagem como extremamente importante para a cura.

Os médicos greco-romanos faziam uso de manobras de massagem para cuidar de seus pacientes e aliviar suas dores.

Os povos gregos cultuavam a saúde, beleza e o porte atlético. Para isso praticavam esportes e utilizavam a massagem para melhorar a performance e aliviar dores musculares. Tanto antes como depois de eventos competitivos.

História da massoterapia na Idade Média

Com a decadência do Império Romano, no século V, a medicina europeia ficou estagnada, não recebendo novas atualizações. Também pelo obscurantismo promovido pela igreja na idade média, práticas de cura ancestrais foram marginalizadas.

No século X, o importante médico e filósofo árabe Abdullah ibn Sina (980-1037), também conhecido como Avicena, descreveu em seus manuscritos manobras e benefícios da massoterapia.

Em seu livro Al-Qanun ( O cânone da medicina), Avicena menciona sobre “a dispersão de matérias estéreis ou esgotadas que se acumulam nos tecidos“. Certamente se referindo a metabólitos acumulados depois do trabalho físico.

História da massoterapia na Idade Moderna

Com o Renascimento, os estudos de anatomia foram reiniciados, além da releitura de obras da antiguidade clássica. Estes adventos possibilitaram uma nova visão da medicina e consequentemente da massoterapia.

A partir do século XVI, na França, Ambroise Paré (1510-1590) afirmou utilizar fricções em seus pacientes pós-cirúrgicos. Ele atribuiu este conhecimento a obras antigas e seu trabalho ajudou a difundir a massoterapia mundo afora.

Francis Fuller the Younger (1670-1706), fisiologista ingês e o médico Joseph-Clémet Tissot (1747-1826) na França, defenderam o uso do trabalho físico de exercícios e manobras de massoterapia.

Este dois influenciaram Per Henrik Ling (1776-1839) em seus trabalhos sobre ginástica e seus efeitos.

História da massoterapia na Idade contemporânea

Per Henik Ling, o precursor da educação física, conhecia técnicas chinesas, egípcias e greco-romanas. Também possuía conhecimento de ginástica e fisiologia. Com este saber ele desenvolveu um sistema que une massoterapia e exercícios batizado como ginástica médica. Posteriormente ficou conhecido como Massagem Sueca.

O método de Ling se difundiu rapidamente pelo mundo e é estudado até hoje como massagem clássica.

O médico inglês Mathias Roth (1818-1891) escreveu um livros sobre a ginástica médica e os movimentos suecos baseados no trabalho de Ling. Nele descrevia as técnicas, aplicabilidade e efeitos.

Dr. George H. Taylor (1821-1896), médico estadunidense, publicou artigos sobre a cura proporcionada pelo método de Ling. Seu irmão, Charles Fayette Taylor (1827 – 1899), também propagou as ideias dos movimentos suecos e publicou vários artigos.

Elizabeth Kenny (1856 – 1952), uma enfermeira australiana, praticava o uso da massoterapia no tratamento de pacientes com poliomielite. Utilizando compressas, alongamentos e manipulações obtendo grandes resultados na diminuição das sequelas. Com ela a massoterapia teve maior aceitação pública frente ao surto de poliomielite que ocorreu neste período nos EUA.

Massoterapia nos século XX e XI

Atualmente há uma promoção constante do uso de terapias complementares como auxílio dos tratamentos médicos convencionais. Ocorre também o crescimento do interesse científico em abordar práticas ancestrais e seus usos, da prevenção à paliação.

Hoje a massoterapia está presente em hospitais, centros estéticos, spa’s com objetivo de relaxamento, com vivências e histórias cheias de transformação.

Hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece que a saúde não é apenas a ausência de doenças, mas a presença de bem estar. Com isto, a atuação na saúde passa a ser compreendida como um ação multidisciplinar e não apenas proporcionada por profissionais de saúde.

Massoterapia entre Ameríndios: história da massoterapia

Se engana quem acha que a massoterapia veio para as Américas com os europeus. Pois no Brasil e em toda América indígena a massoterapia fazia parte do sistema ancestral de cura Xamânica.

Na grande diversidade dos procedimentos de cura entre os indígenas estavam aplicação de calor, defumação, massagens e fricções. Atualmente alguns destes procedimentos se mesclam com a massoterapia clássica e são usadas em spa’s e clínicas de saúde integral.

Massoterapia hoje no Brasil

Hoje a massoterapia em suas mais variadas formas e práticas se enquadra no ramo das Práticas Integrativas e Complementares (PIC’s). Considerados recursos terapêuticos reconhecidos pelo Ministério da Saúde tanto para a prevenção de doenças e recuperação da saúde.

Por isso estão recebendo incentivos do governo ao participar de políticas públicas e participando da atenção primária, da média e alta complexidade.

O Ministério da Saúde ressalta como diferenciais das práticas integrativas o fato de serem de baixo custo, flexíveis e por terem ênfase na escuta acolhedora.

Relaxamento com massoterapia

Na história da massoterapia, este é um dos objetivos mais buscados pelo público. Em 1800 a.C os hindus usavam a massoterapia para indução do sono, combate ao cansaço, entre outras finalidades.

Veja também um artigo com 7 passos para melhorar o sonos

Por séculos o poder relaxante da massoterapia tem sido usado para combater histeria, ansiedade, síndrome do pânico e até abstinência. O relaxamento e buscado como medida preventiva e manutenção do equilíbrio em indivíduos saudáveis, o que é o ideal.

O relaxamento é um fim terapêutico em si e um dos objetivos mais buscados quando o assunto é massagem

História da massoterapia: Saúde geral

Combinada com exercícios regulares e uma boa alimentação auxilia na manutenção de uma saúde e bem estar. Diversos relatos apontam para o uso de ervas e óleos e esfregação, normalmente aplicada por um curandeiro ou médico.

Na índia, a medicina Ayurveda, emprega técnicas de oleação (Abhyanga), ou massagem com ficrição e unção, todas as manhã após o banho.

Conclusivamente, em diversas partes do mundo, a massagem é associada a melhorias do bem estar de pacientes enfermos e pós-cirúrgicos.

Massoterapia e qualidade do sono

Sem dúvida a massoterapia é uma das formas mais promissoras para o tratamento de distúrbios do sono. Justamente por aliviar as principais causas de insônia como a ansiedade, depressão e dores. Desde dores causadas por má postura ou movimentos repetitivos, como dores advindas de toxinas acumuladas nos tecidos.

Veja aqui um texto de como melhorar o sono com a massoterapia

Ao melhorar o sono é possível melhorar o foco o humor e a capacidade cognitiva durante o dia produtivo. Além da regulação do ciclo sono-vigília, que conhecemos com ciclo circadiano.

Muitos conseguem chegar ao nível de relaxamento suficiente para dormir durante a seção ou logo em seguida. Assim como várias pessoas relatam que o sono neste momento é o melhor sono dos últimos tempos.

O que denota que elas estavam há bastante tempo com sono deficitário. Leia aqui 7 passos para melhorar o sono.

E se a falta de um sono reparador é a maior causa do envelhecimento precoce, podemos afirmar que a massoterapia ajuda a retardar o envelhecimento.

Massoterapia para Circulação sanguínea

A circulação sanguínea é responsável tanto por nutrir os tecidos como por eliminar as toxinas. Sem dúvida, muitas dores e tensões são causadas por reações infamatórias localizadas e acúmulo de metabólitos nos tecidos do corpo.

Os tecidos, ao serem estimulados pelo toque, intensificam sua recuperação em caso de lesões e irritações, ficam rejuvenescidos e nutridos.

Além das propriedades fisiológicas conhecidas é atribuída  à massoterapia uma possibilidade de troca de energias desconhecidas pela ciência, porém observadas em terapias alternativas. Afirmamos que um massoterapeuta precisa estar são e munido de energias curativas para poder curar.

Massoterapia para respiração

A respiração nos faz mexer diversos ossos e músculos o tempo inteiro e em média respiramos cerca de 23.000 vezes ao dia. Muito não?

Se um determinado indivíduo realizar esta média de respirações por 90 anos, ao fim da sua vida terá competado 755 milhões de vezes. Com isso percebemos que uma boa respiração é fundamental para o desenvolvimento e manutenção de um organismo saudável.

Antes de qualquer ação terapêutica, realizamos uma análise da respiração do indivíduo para escolha da técnica empregada. Por isso não é raro ouvir relato de pacientes que alegam estar respirando melhor após uma seção de massagem.

Ao fim da sua vida terá competado 755 milhões de vezes

A massoterapia para respiração ajuda na eliminação de toxinas e redução da fadiga, já que aumenta da amplitude respiratória.

Órgãos digestivos e excretores

Eliminação de toxinas e gases com auxílio de massoterapia e pela melhora geral do fluxo sanguíneo e congestão nas extremidades é o resultado natural de uma terapia adequada. Não é raro um paciente desejar ir ao banheiro para evacuar ou urinar em uma seção de massagem.

Tanto o alívio do stress psicológico como melhorias do condicionamento fisiológico colaboram para que o sistema digestório passa a funcione.

Tratamento de lesões

“Os gregos começaram a usar a massagem por volta de 300 a.C, associando-a com exercícios para a boa forma física. Os gladiadores recebiam massagens regulares para o alívio da dor e da fadiga muscular. Diz-se que Júlio César costumava ter todo o corpo beliscado e friccionado com óleos.”

Na história da massoterapia não é raro encontrar passagens com emprego de massoterapia a cura de lesões. Desde os gladiadores, passando por combatentes militares até os atletas de alta performance da atualidade. A massagem pode ser empregada para aliviar a dor, reduzir o edema, e promover a nutrição dos tecidos.

Ideal para atletas ou indivíduos com traumas cirúrgicos recentes

Massoterapia em Recife

Como principal cidade do nordeste e uma das capitais mais próximas do oriente, é referência em variedade e quantidade de centros de estudo em massoterapia. Hoje encontramos profissionais capacitados em técnicas chinesas, japoneses, hindus, tailandesas e variações populares como a quick massage.

Massagem Ayurvédica em Recife

A Massagem Ayurvedica é uma técnica milenar surgida na índia ancestral que combina aplicação de óleos e movimentos com as mãos e pés para um relaxamento profundo do paciente.

A massoterapia Ayurvedica é parte de um conhecimento médico com mais de 5 mil anos de idade e ainda utilizado e difundido.

Por influência de religiosos e sábios além de viajantes que retornaram da índia, Recife se tornou um polo de saber Ayurvedico. Hoje se destaca na formação e aperfeiçoamento de profissionais conhecedores do assunto.

Ayurveda significa, em sânscrito, ciência da vida

Conclusão

A história da massoterapia ainda está em plena construção e em pleno renascimento. Com o aculturação oriental e a busca por métodos terapêuticos menos agressivos ao corpo.

Em Recife, centenas de pessoas estão aprendendo, ensinando e solicitando a massoterapia com fins terapêuticos para uma vida mais equilibrada e feliz.

Venha fazer parte deste grupo que sabe e gosta de viver em harmonia com o próprio corpo.

E você? Conte-nos no formulário abaixo o que você mais gosta da prática de massoterapia se for praticante. Se ainda vai conhecer, nos diga suas dúvida sobre o assunto. Ficaremos felizes em discutir cada detalhe.

Agende sua seção conosco

Referências

MANUAL DE MASSAGEM TERAPÊUTICA – Mario-Paul Cassar

FERRAZ, J. A e M. C. P. BERGAMINI, Massoterapia Princípios e práticas orientais e ocidentais. Editora SENAC

Diehl, Eliana Elisabeth, & Grassi, Francielly. (2010). Uso de medicamentos em uma aldeia Guaraní do litoral de Santa Catarina, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 26(8), 1549-1560. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2010000800009

PIC’s – Ministério de Saúde

Medicina Ameríndia

1 comentário em “História da massoterapia”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *